colecções disponíveis:
1. Lendas de Sintra 2. Sintra Magia e Misticismo 3. História de Sintra 4. O Mistério da Boca do Inferno 5. Escritores e Sintra
6. Sintra nas Memórias de Charles Merveilleux, Séc. XVIII 7. Contos de Sintra 8. Maçonaria em Sintra 9. Palácio da Pena 10. Subterrâneos de Sintra 11. Sintra, Imagem em Movimento


quarta-feira, 14 de abril de 2010

Fernando Pessoa e Aleister Crowley ou "O Mistério da Boca do Inferno" - Parte III



© Pesquisa e texto: O Caminheiro de Sintra
Imagens: Arquivo do Caminheiro de Sintra




"Ano 14, Sol em Balança

L.G.P.

Não posso viver sem ti. A outra “Boca do Inferno” apanhar-me-á - não será tão quente como a tua.

Hisos!
Tu
Li
Yu"


Fernando Pessoa interpretou-a dizendo queo “Ano 14” era o ano de 1930, segundo a cronologia adaptada por Crowley; “L.G.P.” assumiu que não fazia ideia do que significaria, sendo talvez a denominação mística da Mulher Escarlate; “Hisos”, também não o sabia, embora achasse que uma palavra secreta seria, só para ser entendida por Miss Jaeger; “Tu Li Yu” era o nome de um sábio chinês que viveu cerca de três mil anos antes de Cristo, e de quem fantasticamente Crowley dizia ser sua encarnação.

Por fim, o Sol em Balança: Fernando Pessoa afirmava que o Sol tinha entrado em Balança no dia 23 de Setembro…e que logo, desse modo, essa mensagem teria sido escrita entre o dia 23 e a tarde do dia 25, quando a mesma foi encontrada.

Pessoa dizia ainda que a natureza da mensagem revelava o que tinha acontecido, pois afirmava convicto, que nenhum ocultista usaria como assinatura o nome da sua encarnação, a não ser quando esse fosse ao encontro dessa, ao encontro do seu “ser essencial” - "Sobre o fato de Crowley assinar a carta, não com o próprio nome, nem com nenhum dos seus nomes ocultos ou maçónicos, mas com o nome representativo do que considera a sua primeira encarnação representativa, ou seja o primeiro "ser essencial", também haveria algumas observações a fazer, e de algum modo viriam para o caso. O que aí está, porém, já basta".

Autores existem que dizem que Aleister Crowley desapareceu na Boca do Inferno, para até à Serra de Sintra ir, através dos subterrâneos que aí se iniciam. E se se tiver em conta naquilo que Fernando Pessoa cria ser a natureza do acontecido (de regresso ao “ser essencial”) então poderá fazer todo o sentido a quem nisso acredite.


Contudo…e nunca tendo estado Fernando Pessoa com Aleister Crowley em Sintra…e se bem que Crowley tenha ficado no Casal de Santa Margarida (ao pé do Bar Estrada Velha), há quem diga que a foto que se encontra no topo deste papel, foi tirada em Sintra, durante um jogo de xadrez entre poeta e mago.

Um mistério? Sem dúvida.

Na próxima publicação, caso queira poderá saber a resolução do Mistério da Boca do Inferno, bem como a história da fotografia de Aleister Crowley e Fernando Pessoa a jogarem xadrez num café em Sintra.

Mas…quererá mesmo desvelar o mistério e torná-lo só em história, ou prefere que a história continue pelo véu do mistério coberta?


© O Caminheiro de Sintra


Documentário sobre Aleister Crowley [inglês]:




As outras partes d'O Mistério da Boca do Inferno:

I. Aleister Crowley e Fernando Pessoa ou "O Mistério da Boca do Inferno" - Parte I
II. "O Mistério da Boca do Inferno" ou Fernando Pessoa e Aleister Crowley - Parte II
I.II. Solução d'"O Mistério da Boca do Inferno" - Parte I
II.II. "O Mistério da Boca do Inferno" ou Fernando Pessoa e Aleister Crowley - Parte II da Conclusão

2 comentários:

  1. Duas figuras interessantes, penso que eles sem completam, de uma forma quase que contraditória.
    www.cristiancosta.com

    ResponderEliminar
  2. wow...visitei hoje o local e vi essa placa com o nome do sr Crowley e fiquei boqueaberto! Não fazia a mínima ideia deste mistério!

    ResponderEliminar

Caríssimo(a),

por favor sinta-se à vontade para aqui escrever aquilo que agora pensa ou sente.

Ver-nos-emos em breve, sem disso sabermos.

O Caminheiro de Sintra